Elaborando Projetos Sociais e Culturais

De segunda a sexta! Sempre um vídeo novo!

Artesanato Brasileiro Movimenta R$ 50 bilhões

319 visualizações

Artesanato brasileiro movimenta R$ 50 bilhões por ano
Segmento da economia criativa o artesanato é importante tanto para o
desenvolvimento local como para cada artesão envolvido na produção.
Fica comigo e vamos entender um pouco mais do mercado do artesanato.

Segundo G1 – em março de 2018 o artesanato movimentava 50 bilhões de
reais por ano sustentando 10 milhões de pessoas. Muitos artesãos
confeccionam produtos com técnicas centenárias enquanto os mais novos
usam tecnologia para desenvolver seus objetos. É preciso diferenciar o
artesanato de uma trabalho manual. No canal tenho um vídeo onde falo
dessa diferença. O artesanato é só um dos segmentos da Economia Criativa.
E ela nos parece como se fosse uma grande novidade! De fato estamos fazendo
economia criativa há muito tempo. Ocorre que o conceito é novo.
Surgido na Austrália sob a denominação “nação criativa” onde o poder
público passa a incentivar as atividades com foco em capital intelectual
para alavancar a economia local. Em seguida na Europa, mais precisamente
na Inglaterra, nasce o termo indústrias criativas e são definidos treze
segmentos dessas indústrias criativas em potencial e com poder de alavancar
desenvolvimento. Entre os segmentos definidos naquele momento estão a moda,
a gastronomia e o artesanato.
Quando falamos de Economia Criativa precisamos ter em mente que não existe
uma área única e exclusiva ou um segmento mais forte e outro menos.
Precisamos entender que Economia Criativa é um arranjo de segmentos que
se falam.
A interdisciplinaridade permeia a Economia Criativa.
Moda conversa com design, que fala com as artes como um todo que por sua
vez interagem com o meio ambiente. Artesanato conversa também com design e
pode estar incluído de forma íntima com a cultura popular.
Mas podemos pegar um único segmento e tentar entender toda a cadeia
produtiva que permeia ele. No caso específico do artesanato há uma cadeia
produtiva imensa que precisamos mapear. Para confeccionar uma única peça
vamos precisar de matérias primas específicas, e claro a mão e a
criatividade do próprio artesão. Ele pode trazer para colaborar outros
artesãos. E cada um desses profissionais podem usar ferramentas que estão
disponíveis no mercado e produzidas por uma indústria de ferramentaria.
Ainda temos nessa cadeia produtiva a indústria têxtil que pode fornecer
tanto material novo como reaproveitamento de tecidos para o artesão, bem
como a indústria de armarinho. Há pigmentos desenvolvidos para essas
indústrias e já incluímos na cadeia produtiva a indústria química.
Cada indústria dessas tem profissionais específicos de designers a
químicos, engenheiros mecânicos e de produção. Depois da peça pronta
ainda temos que dar a visibilidade e a comercialização dessa peça.
Vêm se juntar nesse momento a cadeia das feiras e exposições, a tecnologia
da informação com aplicativos para vendas, bem como as mídias sociais para
a colocação do artesanato no mercado.
Por tudo isso, entender o que seja a economia criativa é complexo.
Para ser simplista podemos resumir numa única frase que Economia Criativa
é qualquer empreendimento que tenha como mola propulsora a criatividade,
a tecnologia, a inovação e o conhecimento e que seja capaz de produzir
desenvolvimento local, regional ou mesmo nacional. Nesse contexto todos
nós de alguma forma estamos envolvidos com alguma atividade da economia
criativa.
O crescimento da Economia Criativa tanto no Brasil como no mundo não é
uma surpresa. Estamos num momento de mudanças. Depois de uma Revolução
Industrial que nos colocou num mundo que cresceu a qualquer custo em prol
de um progresso estamos repensando a forma como vivemos. Assim todo o
pensamento mundial para a qualidade de vida e preservação do meio ambiente
é inevitável uma vez que já destruímos tudo o que seria possível destruir.
As grandes indústrias estão perdendo seu espaço tendo em vista essa nova
forma de trabalho. A tecnologia nos disponibiliza dia a dia novos produtos,
novos processos, novos APP’s. Produtos não precisam mais de grandes
indústrias para serem produzidos. Os segmentos focados em serviços
passam a crescer e a dar mais oportunidades de colocação e geração de
renda. Quem estiver atento a isso vai ter mais chances no mercado.
É nesse contexto que o artesanato brasileiro se encontra.

#elaborandoprojetos #culturagerafuturo #culturaéfermento

**************************************************
Inscreva-se no canal e receba mais informações para os seus projetos:
▶ Link do Vídeo: https://youtu.be/bMGEJdZHgXE
▶ Canal: http://youtube.com/ElaborandoProjetos
▶ Facebook: http://fb.com/ElaborandoProjetos
▶ Twitter: http://twitter.com/ElabProjetos
▶ Instagram: http://instagram.com/ElaborandoProjetos
**************************************************